As absolute is by amounted repeated entirely returned

Lucro presumido: Tire todas suas dúvidas sobre esse conceito

Um dos conceitos mais importantes a ser dominado e aplicado no contexto corporativo é o regime de tributação. Trata-se do conjunto de leis que determinam e regulamentam a forma como uma empresa será tributada, em relação ao seu Imposto de Renda (IRPJ) e à Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL). Existem diferentes tipos de regime: Simples Nacional, Lucro Real, Lucro Presumido e o Lucro Arbitrado.

No artigo de hoje, vamos esclarecer todas as dúvidas a respeito do Lucro Presumido. Ao final da leitura, você saberá o conceito, as vantagens, desvantagens e, colocando tudo isso na balança, se é uma boa opção para o seu negócio.

 

O que é Lucro Presumido?

 

É o segundo regime tributário com o maior número de empresas no Brasil, ficando atrás apenas do Simples Nacional. Isso porque ele é considerado mais simples do que o Lucro Real e, na maioria das vezes, garante uma carga tributária mais baixa para o empreendedor.

O Lucro Presumido funciona com a presunção da base de cálculo para os impostos (IRPJ e CSLL). Na prática, isso significa que a tributação é estabelecida em relação a um valor de lucro aproximado e pré-fixado e não necessariamente o lucro real da empresa.

 

Como funciona o seu cálculo?

 

O cálculo varia em cada um dos impostos envolvidos no regime tributário, por isso, vejamos como funciona em todos eles:

* IRPJ: o cálculo para determinar o Imposto de Renda com esse regime é de 15% sobre o Lucro Presumido de até R$ 20 mil por mês e 10% se for superior a isso;

* CSLL: no caso do CSLL, o cálculo considera uma alíquota de 9% sobre o valor do Lucro Presumido, independente do quanto seja;

* PIS/COFINS: pelo sistema cumulativo, o cálculo é de 0,65% sobre o PIS e 3% sobre o COFINS;

* ISS ou ICMS: no caso das prestadoras de serviços, é obrigatório recolher o ISS e a alíquota varia de acordo com cada município, devendo ser aplicada sobre o faturamento bruto mensal. As demais empresas recolhem o ICMS, devendo aplicar o valor da mercadoria pela alíquota vigente no momento.

A presunção do lucro leva em consideração percentuais padronizados e previamente definidos pela lei em cima dos valores da Receita Operacional Bruta (ROB) da empresa. Isso varia de acordo com o ramo de atuação do empreendimento e também o seu faturamento anteriormente. Por isso, é preciso consultar a porcentagem de presunção de acordo com o seu segmento para saber se o Lucro Presumido realmente vale mais a pena do que o Lucro Real.

Podemos citar como exemplo de presunção de lucro as seguintes alíquotas: 8% do faturamento para o setor de vendas em geral, imobiliárias, serviços hospitalares e industrialização para terceiros; 1,6% para revenda de combustíveis e gás natural e 32% para serviços profissionais atrelados à formação técnica ou acadêmica, como contabilidade ou serviços de comunicação.

 

Quem pode adotar o Lucro Presumido?

 

Essa é uma dúvida bastante comum porque um dos elementos que determina qual empresa pode optar pelo regime de tributação X é o seu faturamento. No caso do Lucro Presumido, isso não é diferente: o principal requisito para que ele possa ser adotado é que o faturamento bruto anual não seja maior do que R$ 78 milhões, no ano anterior à referência.

A escolha do regime de tributação é feita no momento de constituição da empresa. Mas se, por exemplo, você tiver optado pelo Lucro Real e agora sabe que o Lucro Presumido pode ser mais vantajoso, é possível fazer essa alteração no início do próximo ano fiscal.

 

Vantagens do Lucro Presumido

 

Primeiramente, esse regime é bastante vantajoso para empresas que tenham uma margem de lucro superior à porcentagem fixada de presunção. Porque ela irá faturar normalmente, mas será tributada como se tivesse faturado menos. Optar por esse sistema quando o empreendimento cumpre todos os requisitos, para reduzir a carga tributária, é um procedimento totalmente legal, conhecido como elisão fiscal.

Outras vantagens do regime tributário em questão são:

* Seu cálculo é bem mais simples do que o do Lucro Real. Mesmo que o empresário tenha um contador, ele conseguirá acompanhar com mais facilidade as declarações e recolhimentos, entendendo perfeitamente como está o cumprimento das suas obrigações fiscais;

* As alíquotas do PIS/COFINS são menores no Lucro Presumido do que no Lucro Real;

* Nesse sistema, a empresa tem menos obrigações acessórias a cumprir se comparado ao Lucro Real. O empreendimento optante do Lucro Presumido é obrigado a cumprir a Declaração Eletrônica de Serviços (DES); a Declaração de Apuração e Informação do ICMS (DAPI); o Guia de Informação e Apuração do ICMS (GIA); o Sistema Integrado de Informações sobre Operações Interestaduais com Mercadorias e Serviços (SINTEGRA); a Escrituração Contábil Digital, a Declaração de Débitos Tributários Federais; EFD Contribuições, entre outras documentações. Mesmo assim, é uma quantidade menor do que no outro regime.

 

Desvantagens do Lucro Presumido

 

A primeira desvantagem é o risco de pagar mais impostos do que deve e isso acontece quando a margem de lucro da empresa é menor do que o percentual fixado para presunção. É por isso que a escolha entre Lucro Real e Lucro Presumido deve ser minuciosa e ter o acompanhamento de um profissional de contabilidade, para verificar, na prática, qual será o que vai garantir a menor carga tributária.

Outro ponto negativo desse regime é que não há opção de abatimento de crédito do PIS/COFINS, porque não há a opção não cumulativa. Portanto, é uma isenção fiscal à qual essas empresas não têm acesso.

O planejamento tributário é o melhor caminho para selecionar o regime de tributação mais adequado. A empresa precisa pensar não apenas em reduzir seus impostos, mas em cumprir rigorosamente as determinações legais, para evitar qualquer tipo de punição.

Aqui em nosso blog publicamos muitos conteúdos exclusivos sobre o universo contábil, que podem ajudar você a manter a saúde financeira do seu negócio e, mais que isso, fazer com que ele cresça cada vez mais e conquiste um espaço sólido no mercado. Acesse nossos posts, acompanhe as atualizações e fique por dentro de todas as novidades!

Edição Blog Contabilidade Cidadã