As absolute is by amounted repeated entirely returned

O potencial do RH e a contabilidade que andam juntos

Tratar dos livros contábeis, impostos e tarefas análogas já não é a única função de um contador. Nesta acepção moderna é preciso sinergia com outras áreas, como os recursos humanos. No presente artigo você vai conferir o potencial do RH e a contabilidade que andam juntos.

Antes de tudo devemos entender as mudanças ocorridas na contabilidade. Ao longo do tempo os profissionais da área ganharam papel que transcendeu o utilitarismo dos cálculos, tornando-se estratégicos. É por isto que o contador hoje influência no processo decisório das empresas.

 

Contabilidade e RH: o antagonismo aparente

 

Separadamente é fácil compreender como recursos humanos e contabilidade podem ter caráter estratégico. Não obstante, ambos costumam ser encarados de forma isolada. E isto ocorre porque um lida com o capital humano, elemento que pode representar custos para a contabilidade.

Para esta última o lucro é tradicionalmente o objetivo mais importante. A breve descrição que fizemos ajuda a imaginar as duas áreas de forma quase antagônica. Contudo, é preciso entender que não há lucratividade sem o empenho dos colaboradores da empresa. Por outro lado, gerenciar salários e benefícios é fundamental para uma gestão funcional da mão de obra.

 

O potencial do RH e a contabilidade que andam juntos: entendendo a relevância do elemento humano

 

Analisando o tópico anterior podemos chegar à conclusão de que o antagonismo entre as áreas é apenas superficial. Na realidade os dois setores podem, e devem, trabalhar em conjunto. Especialmente porque qualquer tomador de decisão deve considerar o elemento humano em seus planos.

O RH ajuda a trazer esta perspectiva para a contabilidade. Existe também o caminho inverso, afinal, tudo o que é investido nos recursos humanos precisa ser contabilizado. Pois desta forma a organização estará melhor preparada para ações de contratação, treinamento, recompensa e assim por diante.

 

Como RH e contabilidade trabalham juntos no contexto organizacional

 

Dado a função e importância das duas áreas hoje, elas devem não só integrar-se, mas interagir com o planejamento estratégico. É desejável, assim, que o capital humano da empresa seja desenvolvido dentro de uma perspectiva alinhada às metas do negócio. O que isto significa na prática?

A contabilidade, por exemplo, para exercer bem sua função deve entender como as ações do RH afetam o desempenho da empresa. Uma perspectiva que não se resume ao custo. Os gerentes de recursos humanos, por sua vez, devem aprender a quantificar e qualificar os investimentos que vão para pessoal.

 

Leia também: Como emitir a certidão negativa do ITR?

 

Aposentadorias e demissões

 

Nos assuntos delicados e complexos, tal qual aposentadorias e demissões, é fundamental unir estes dois campos. O contador dispõe de conhecimento a respeito de regras que orientam o RH. Ao mesmo tempo, ele realiza uma consultoria de cálculos para garantir que tudo corra bem seja na transição para a aposentadoria ou no caso das demissões.

Junto ao RH ele pode inclusive ajudar os colaboradores em desligamento a planejar suas finanças para o período de recolocação. Em suma, a contabilidade aprende muito sobre o lado humano do negócio. Já os recursos humanos ganham perspectiva do impacto de suas decisões no sucesso empresarial.

 

Acertos, benefícios e a união estratégica dos setores

 

Não menos importante é tratar de modo preciso os pagamentos, horas extras, adicionais e demais benefícios. A contabilidade acerta estes valores para o RH, cuidado para que se respeite à legislação. Deste modo o funcionário terá repassado o que é justo e adequado.

Analisando tudo o que foi exposto, fica claro o potencial do RH e da contabilidade que andam juntos. Existem, afinal, diversas situações no contexto organizacional onde é preciso sinergia entre os setores. O fato é que eles têm caráter complementar e podem aprender muito através da troca de informação. Quem lucra mais com esta relação? A empresa e seus funcionários.

 

Edição Blog Contabilidade Cidadã